3 de dez de 2008

Líquida

Vem, toma o que é teu
Aquilo que há muito eu te dei
Minha oferta silenciosa
Úmida
Gotejante
Recheada de prazer
Possua em teus lábios
Língua e dentes
Aquilo que um dia foi meu
Mas agora é teu
Só teu...

Um comentário:

Gato Guga disse...

Demais o poema. Bjs.